.

Negócios

Bolsonaro anuncia quarta parcela de auxilio emergencial

Publicado

em

Redação São Paulo Notícias, Negócios – Jair Bolsonaro disse que quarta parcela do auxilio emergencial deve ser liberada.  Entrevista na noite desta terça-feira (2)o presidente afirmou que o auxilio pode ter mais parcelas que as três assinadas no dia 1° de abril, para enfrentar a queda de renda das pessoas vulnerareis economicamente.

O presidente Bolsonaro disse que também espera que os governadores tomem medidas para o retorno da economia.

“Temos mais uma parcela de R$ 600,00, depois mais duas acertadas com o Paulo Guedes. Falta definir aí o montante. E vamos esperar que até lá os outros governadores entendam o que seja melhor pro seu estado e adotem medidas pra voltar aí o povo a trabalhar”, disse Bolsonaro ao falar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Defensor do isolamento social vertical, Bolsonaro é crítico ferrenho do sistema de isolamento horizontal, que devido a grandes restrições de movimentação, afetou muito a economia do Brasil. Ele propõe que os comércios funcionem e apenas pessoas no grupo de riscos se isolem,.  e que apenas pessoas do grupo de risco e idosos fiquem em quarentena.

“Os problemas estão se avolumando. O pessoal informal, eu já falei pra vocês, 38 mi de pessoas, eles perderam quase tudo. Ninguém vende mais biscoito Globo na praia do Rio. Nem vende mate na arquibancada do estádio de futebol e nem no churrasquinho de gato na praça. Isso é atividade de cada um. Essas pessoas estão em casa graças ao auxílio, que é de todo mundo, é dinheiro de todo povo. R$ 600 pra eles se não o desespero teria batido neles e problemas outros poderiam ter tido”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro declarou que aos valores das parcelas ainda estão sendo negociados com o Ministro Paulo Guedes.

“Você pode ver, nós gastamos… Nós não, o Brasil já gastou quase R$ 700 mi com a pandemia. Muita coisa foi feita. Esse próprio auxílio emergencial de 600 que tá quase certo a quarta e a quinta parcela, de valores menores um pouco, que tá sendo ajustado pelo ministério da Economia, ajudou a evitar problemas sociais”, afirmou Bolsonaro.

Destaque